transplante123a

A córnea é a parte mais externa e anterior do olho. É transparente permitindo que o feixe de luz penetre no globo ocular e ao atravessar o cristalino seja focada a imagem na retina. Através dela pode ser visualizada a íris (parte colorida dos olhos). Por tanto a córnea pode ser considerado a janela dos olhos. Se uma janela está quebrada, suja ou coberta, a luz não pode passar e o ambiente fica escuro. Assim também é a córnea. Se há algo de errado com ela a luz pode não chegar à retina e nós não podemos enxergar.

Diversos tipos de problemas podem acometer a córnea levando a irregularidade de sua superfície e opacidades. Quando a córnea se torna embaçada, como um copo quando o retiramos da geladeira, a luz tem dificuldade de passar e a visão fica prejudicada. Para restituir a boa visão é necessário um transplante corneano.

A cirurgia do transplante consiste em remover um disco central da córnea danificada e substituí-lo por um pedaço equivalente de uma córnea saudável, obtida de um doador humano. Esse procedimento representa o transplante com maior porcentagem de sucesso e é realizado numa sala cirúrgica com microscópio. A cirurgia dura cerca de uma hora e pode ser realizada com anestesia local ou geral, dependendo de cada caso. A corneana do paciente é retirada com a ajuda de um finíssimo bisturi e então a córnea doadora é fixada ao olho com pontos.

A recuperação da visão é lenta e gradativa, podendo levar de seis a doze meses.  Só depois desse tempo é que se poderá determinar a visão final. Não há restrições quanto a atividades que utilizem a visão, como leitura e assistir televisão. Atividades físicas que possam atingir diretamente o olho operado devem ser evitadas, como esportes com bola (futebol, tênis entre outros) natação, levantar peso excessivamente por quatro a oito semanas.

Importante parte do sucesso de transplantes de córnea começa na Central de Transplantes. Uma vez inscritos como doador, a Central de Transplantes deverá ser notificada. A equipe médica é responsável pela retirada e transporte da córnea. Após sua retirada a córnea doadora é submetida a uma análise criteriosa por uma equipe médica que irá determinar se irá servir para restituir a visão.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

fonte:hope