glaucoma

 

O glaucoma é uma doença ocular caracterizada, basicamente, pelo aumento da pressão dos olhos. Isso provoca lesões no nervo óptico que, se não tratadas, podem levar à cegueira total. A oftalmoscopia é um dos principais exames para diagnosticar precocemente este problema, ou seja, o distúrbio.

 

TIPOS: há vários tipos de glaucoma. O crônico simples ou de ângulo aberto, que representa mais ou menos 80% dos casos, costuma acometer pessoas acima dos 40 anos e, normalmente não apresenta sintomas. Por isso a importância do exame. Uma alteração na anatomia do órgão, no ângulo da câmara anterior, dificulta a saída do líquido do olho, lesionando o nervo óptico. Neste caso, a pessoa perderá a visão lentamente. Entretanto, quem tem familiares com a doença poderá apresentar maior risco de desenvolver a lesão do nervo óptico. Já o glaucoma de ângulo fechado provoca episódios de aumento súbito da pressão ocular. Isso ocorre por conta do estreitamento do espaço entre a íris e a córnea, que impede a passagem do líquido do olho (humor vítreo). O tipo da doença que é decorrente de outras enfermidades, como o diabetes, é chamado de secundário e sua causa são infecções, inflamações, presença de tumores e qualquer outro problema que interfira no fluxo do líquido do olho.

 

TRATAMENTO: como a doença não apresenta sintomas é muito importante fazer exames específicos, como a oftalmoscopia (veja a seguir), pois este exame poderá detectar o glaucoma. A perda visual somente acontece nas fases mais avançadas da doença, quando já não dá para reverter o que se perdeu de visão. Mas quando percebida no início, mesmo que não seja possível evitar sua instalação, dá para se controlar a pressão ocular por meio de medicamentos, o que impede que ela progrida.

 

 

 

 

 

 

 

fonte:vivasaude