Glaucoma, suas causas, sintomas e tratamento

Início/Destaque, Notícias/Glaucoma, suas causas, sintomas e tratamento

Glaucoma, suas causas, sintomas e tratamento

A doença é irreversível, mas tratamento aumenta qualidade de vida de pacientes

Glaucoma é o nome atribuído ao grupo de lesões que causam danos ao nervo óptico com caráter irreversível, ou seja, sem cura. O nervo ótico é o tecido responsável por fazer a transmissão dos dados visuais recebidos pelos olhos até o cérebro. Preparamos este artigo especial para descrever esta doença, suas principais causas e tipos, e o tratamento que, mesmo não curando, deixa as consequências desta doença mais brandas para o paciente.

Tipos de Glaucoma

O Glaucoma é uma doença que pode assumir vários tipos, de acordo com as características da lesão que acometem o nervo ótico. Podemos dividir em quatro grandes tipos: de ângulo fechado (agudo), de ângulo aberto (crônico), o congênito e o secundário.

Em glaucomas de ângulo fechado há uma interrupção súbita da circulação do humor aquoso do olho, promovendo uma dolorosa e aguda intensificação da pressão intraocular. O glaucoma de ângulo fechado é emergencial e súbito, diferentemente das lesões crônicas.

O glaucoma de ângulo aberto é o mais comum, e costuma ser hereditário. No entanto, sua causa ainda não foi desvendada por completo. Neste tipo de lesão a pressão intraocular vai crescendo com o passar do tempo e da idade até o ponto em que o nervo ótico é danificado permanentemente, ocasionando a perda de visão.

O congênito é herdado da mãe e, embora raro, costuma se manifestar no paciente enquanto ainda criança. Deve ser tratado com agilidade.

O glaucoma secundário é aquele ocasionado pelo uso de fármacos e de outras doenças ou traumas pelos quais tenha passado o paciente.

Causas do glaucoma

O glaucoma geralmente acontece pelo aumento da pressão intraocular devido ao crescimento da concentração de humor aquoso, um líquido gerado pelos olhos. Quando há a danificação do nervo óptico, a drenagem deste fluído fica prejudicada, e seu acúmulo danifica os olhos e a transmissão de informações para o cérebro.

Como fatores de risco, podemos destacar a idade acima dos 60 anos, a etnia negra, que tem mais propensão ao glaucoma, a ocorrência de doenças oculares, casos de glaucoma na família, diabetes e longo uso de medicamentos corticosteroides.

Sintomas do glaucoma

O glaucoma tem sintomas diferentes de acordo com cada tipo. No agudo, a pessoa pode não ter sintomas até perder a visão, ou ainda perder gradativamente a visão periférica. Nos glaucomas crônicos, a pessoa apresenta dor em um dos olhos, vômitos, olhos inchados e vermelhidão. Nos glaucomas congênitos, também há vermelhidão, mas também nebulosidade, sensibilidade à luz e lacrimação.

Não espere os sintomas se intensificarem para procurar seu oftalmologista. O glaucoma pode ser súbito e, se a ajuda médica demorar para ser solicitada, os danos já podem ter sido irreversíveis.

Tratamento do glaucoma

Como não tem uma cura definitiva ainda, o tratamento para o glaucoma busca manter a pressão intraocular a níveis saudáveis para que a pessoa possa enxergar bem. Isso pode ser feito através do uso de medicamentos ou ainda de procedimentos cirúrgicos.

2017-10-10T10:50:32+00:00 10/10/2017|Destaque, Notícias|