A Retinopatia da Prematuridade (ROP) é uma doença muito comum em bebês prematuros, responsável por grande parte das crianças cegas nos dias de hoje. A ROP acontece porque os vasos do olho do bebê ainda não se encontram corretamente desenvolvidos. Esta doença pode levar a miopia, astigmatismo, glaucoma, descolamento de retina, nistagmo, estrabismo, diplopia, ambliopia ou mesmo cegueira completa já a partir dos 3-4 meses de vida.

A oftalmologista, Lourdes Cristina, destaca que existem alguns fatores de risco para o surgimento da doença. “Principalmente recém nascidos com menos de 32 semanas de idade gestacional, baixo peso ao nascimento, menor ou igual a 1.500 g, a falta ou excesso de oxigênio, hemorragia intracraniana, bem como infecções podem favorecer o surgimento da retinopatia”, pontua a médica.

Lourdes ainda ressalta a importância do exame oftalmológico nas crianças com suspeita de desenvolver a doença. O diagnóstico da retinopatia no bebê prematuro é realizado através do exame de fundo de olho. Essas crianças diagnosticadas devem ser acompanhadas periodicamente e, caso exista risco de cegueira, alguns tratamentos são indicados, como cirurgia a laser, vitrectomia e colocação de uma faixa cirúrgica no olho.

Geralmente os casos da doença evoluem favoravelmente sem complicações, mas é sempre salutar fazer avaliações regulares com o oftalmologista, para iniciar o tratamento caso necessário.