joao ok

É muito importante o exame oftalmológico na criança e que seja realizado, preferencialmente, até os 3 anos de idade porque existem certas patologias que só serão diagnosticadas com um exame oftalmológico especializado. A criança muitas vezes não demonstra qualquer dificuldade visual, porém as aparências enganam.

Uma das doenças infantis mais frequentes é o estrabismo, que é o desalinhamento dos olhos.  “Os pais devem levar as crianças desde cedo ao oftalmologista. Hoje existe o teste do olhinho, obrigatório, feito na maternidade para detectar algum problema ocular, a presença de alguma manchinha dentro do olho que possa interferir no desenvolvimento visual. Por isso, quanto mais precocemente reconhecer melhor será o tratamento”, afirma Dr. João batista, o oftalmologista da clínica Tercio Rezende.

O profissional destaca que mesmo fazendo os devidos testes nos primeiros anos de vida é ideal fazer outra análise aos 6 meses. “Se a criança apresentar uma possível desalinhamento até os 6 meses pode ser algo que não seja definitivo e sim uma questão de coordenação por conta da idade. Mas, a partir dos 6 meses, qualquer falta de sinal ou alinhamento no olhinho, para dentro, para fora ou qualquer posição, deve-se procurar um profissionais pois isto caracteriza estrabismo ou alguma lesão dentro do olho”, alerta Dr. João Batista.

Os tratamentos são variados, passando muitas vezes por várias etapas que podem incluir apenas o uso de óculos ou até mesmo cirurgias. Quanto mais rápido o tratamento maiores as chances de melhora. “É importante procurar um oftalmologista, pois diversos problemas podem ser corrigidos logo no inicio, como exemplo o estrabismo que, em alguns casos, pode ser corrigido com o uso do óculos”, orienta.

“A atenção ao estrabismo começa ao fazer o exame e detectar o problema. O estrabismo pode ser algo genético, hereditário ou o olho normal, apenas desviado. Ocorre que este olho mal posicionado não recebe os estímulos necessários e não desenvolve corretamente diminuindo assim a visão. Nesta caso, precisamos fazer os tratamentos adequados, usando tampão e outros benefícios para que não diminua seu desenvolvimento”, alerta.

É importante lembrar que o estrabismo não é patologia exclusiva das crianças. Adultos estrábicos também são pacientes que podem e devem ser tratados adequadamente. “É importante procurar um profissional pois ao examinar procuramos lesões no olho, desde a transparência, analisamos a própria retina que é importantíssimo para a visão e quando há desvio verificamos a questão de ser ou não doenças neurológicas, o que ocorre mais nos adultos”, finaliza o profissional.