Catarata é um tipo de lesão ocular que pode prejudicar muito a visão, porque o cristalino, que deveria ser bem permeável à passagem da luz, torna-se opaco. Como consequência, os raios luminosos não chegam à retina onde estão os receptores fotossensíveis.

De acordo com Dr. Napoleão Bonaparte de Sousa Junior, especialista em catarata e oftalmologista da clínica Tércio Rezende, a catarata é a principal causa de cegueira reversível do mundo. “Com certeza, em termos estatísticos, ocorre mais em pessoas acima dos 55 anos variando de acordo com incidência de insolação e genética mas há possibilidades de ter outros tipos de catarata, como a catarata congênita”, afirma o especialista.

Ele acrescenta que a ocorrência não é frequente. “Em crianças é muito raro mas pode ocorrer por alguma infecção que a mãe teve durante a gestação o qual induziu a formação da catara no feto. É um caso mais grave e precisa de uma solução imediata e se possível que seja operado até os 6 primeiros meses de vida nos dois olhos e com um período muito curto de tempo entre um olho e o outro para não induzir a cegueira”, explica.

Bonaparte relata que existem cataratas traumáticas, ou seja: em decorrência de traumas oculares que podem ocorrer, por exemplo, em acidente de trânsito. E, assim como nas outras formas, há solução cirúrgica. “No futuro todos nós iremos ter, porém alguns estudos falam que vitaminas e oxidantes retardam a cirurgia, mas retardar não significa evitar”, ressalta.

Para quem vai se submeter a esta cirurgia é importantes ficar atendo ao pré e pós operatório. “O pré operatório exige exames bem feitos, avaliação oftalmológica adequada, evitar que se vá a mesa cirúrgica com infecções ou inflamação. No pós operatório é preciso colaboração do paciente evitando ambientes contaminados, pegar peso e esfregar os olhos. Além disso deve-se usar adequadamente a medicação e muito repouso”, orienta Napoleão Bonaparte.