A Angiografia Fluoresceínica é um exame que consiste na administração endovenosa (geralmente através da punção de uma veia do braço ou do dorso da mão) de um produto de contraste – a Fluoresceína. Trata-se de uma molécula não tóxica e altamente fluorescente que pode ser usada com segurança na grande maioria das pessoas. A fluoresceína absorve a luz azul ( 465-490 um) e emite uma luz do espectro verde-amarelo (500-600 um). Desta maneira através da utilização de um equipamento específico – o Angiógrafo, que mais não é do que um aparelho fotográfico dotado de filtros determinados – é possível o registo fotográfico seriado dos pormenores do fiando ocular e da sua vascularização.

Ao permitir estudar as características do fluxo sanguíneo nos vasos da retina e coróideia, registar detalhes do epitélio pigmentar e da circulação retiniana e avaliar da sua integridade funcional (já que os vasos retinianos normais são impermeáveis à fluoresceína), a Angiografia Fluoresceínica é usada como auxiliar diagnóstico importante nas situações de Doenças Vasculares da Retina – por ex. Retinopatia Diabética, Hipertensão Arterial, Oclusões Arteriais e Tromboses Venosas, entre outras – nas situações Inflamatórias ou Degenerativas da retina e da coróideia – por ex. Degenerescência Macular Ligada à Idade e Distrofas Retinianas -, no estudo de Tumores Oculares e no estudo do Nervo Óptico, e de muitas outras doenças primárias, ou não, do Globo Ocular.